Parque Centenário da Imigração Japonesa

Agricultura e Meio Ambiente

A área do atual Parque Centenário já foi, na década de 70, uma importante fonte de extração de areia para o Município de Mogi das Cruzes, através da Empresa de Mineração Lopes, que explorou o mineral utilizando a técnica de desmonte hidráulico nas proximidades das margens do Rio Tietê. Com o esgotamento do minério, o lençol freático que alimenta o Rio Tietê aflorou, formando os enormes lagos atuais.

Após um período de inatividade, o local foi utilizado como pesqueiro. Em meados de 2007, foi idealizado um parque homenageando o centenário da imigração japonesa e, em 28 de junho de 2008, foi inaugurado o Parque Centenário. Com 21,5 hectares, sua área inclui quatro lagos com pontes flutuantes em estilo oriental, a praça do Imigrante, espaço Bom Odori–Samba, Pavilhão das Bandeiras, entre outros.

O parque está inserido na Área de Proteção Ambiental da Várzea do Rio Tietê. Em alguns trechos das margens do rio foram plantadas mudas nativas visando restaurar a mata ciliar existente. Em outros pontos, somente o enriquecimento florestal. No interior do parque, entre as espécies plantadas estão ipês, paineiras, quaresmeiras, palmeiras e uma grande quantidade de cerejeiras, árvore símbolo do Japão. O parque preza por possuir extensa trilha que margeia a faixa de preservação permanente do rio, também por possuir áreas de playground, museus e áreas cobertas para eventos, possibilitando uma maior integração entre a comunidade e o parque urbano.

Da avifauna encontrada, existem 86 espécies como quero-quero, anus, sabiás, saíras, socós e garças, entre outros.



ATENDIMENTO
  • Avenida Francisco Rodrigues Filho, s/nº
    Cezar de Souza
    - Mogi das Cruzes / SP
  • Segunda a domingo, das 7 às 18 horas
  • svma@pmmc.com.br
  • 4739-2345
  • -23.508081, -46.172837