Merendeiras de escolas municipais visitam propriedades da agricultura familiar

Secretaria de Agricultura

18 de maio de 2017
Acessibilidade

Merendeiras de escolas municipais de Mogi das Cruzes acompanharam na manhã desta quinta-feira (18/05), o processo de produção e entrega dos alimentos, que estão sendo fornecidos por agricultores mogianos para a merenda escolar por meio do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE). A visita, no Distrito de Jundiapeba, contou com a presença de representantes do Conselho de Alimentação Escolar (CAE) e os secretários municipais de Gestão, Agricultura e Educação. Neste ano, a Prefeitura de Mogi das Cruzes irá investir R$ 923.031,35 em produtos da agricultura familiar, superando os R$ 241 mil investidos em 2016.

A visita começou pela sede da Aprojur – Associação dos Produtores Rurais de Jundiapeba e Região, local de onde saem as entregas às terças e quintas-feiras para 211 pontos na cidade. Depois, o grupo seguiu para propriedades rurais nas imediações da associação. “O objetivo da visita foi acompanhar os trabalhos focados na merenda escolar desde o inicio, desde a articulação feita entre os produtores, as cooperativas, a associação, depois a interação com as secretarias de Gestão e Educação por meio do PNAE”, destacou o secretário de Agricultura, Renato Abdo.

O contrato com a Prefeitura de Mogi das Cruzes trouxe novas possibilidades para as cooperativas da cidade. “Após o contrato com a Prefeitura de Mogi, conseguimos também fornecer para Guararema e Salesópolis. Estamos participando de formações e atividades com a Secretaria de Agricultura para diversificar as culturas e fornecer mais produtos para a merenda escolar”, disse Leandro Fazion, presidente da Coopavat (Cooperativa dos Produtores Agrícolas do Cinturão Verde do Alto Tietê), que fornece alimentos junto à Cooprojur (Cooperativa dos Produtores Rurais de Jundiapeba e Região).

 

Na cozinha das escolas

Com experiência de 20 anos na merenda escolar, a merendeira Neuza Nogueira Fraga, da Escola Municipal Dr. Waldir Paiva de Oliveira Freitas, em Braz Cubas, gostou da experiência de conhecer onde são produzidos os alimentos que recebe duas vezes por semana em sua cozinha. “É uma ação inovadora, adquiri muita experiência com a visita e aproveitei para tirar dúvidas que eu tinha. Trabalhei com a terra até os 18 anos, mas não tinha conhecimento do avanço da tecnologia. Vou levar o que aprendi hoje também para a casa”, disse.

Merendeira da escola do bairro onde são produzidas as hortaliças e legumes, Eliane Araujo de Godoi, que está há dois anos na Escola Municipal João Antonio Batalha, na Chácara dos Baianos, ressaltou que a visita valoriza os produtores. “Esta visita é importante para quem está no dia a dia da escola conhecer a rotina de quem produz. É uma valorização do que é produzido na cidade. As crianças do bairro sabem que o alimento que estão comendo são produzidos aqui e valorizam isso”, disse.

A qualidade dos alimentos que estão chegando às escolas tem chamado a atenção. “São produtos que estão superando as nossas expectativas. Tivemos que adequar a logística interna das escolas para o armazenamento dos alimentos”, contou a secretária de Educação, Juliana Guedes. Para o secretário de Gestão, Marcos Regueiro, é importante acompanhar a qualidade da produção. “A aferição da qualidade do produto que está sendo fornecido é importante. Os técnicos da Prefeitura puderam conhecer hoje aspectos técnicos da produção, como a hidroponia, a questão da adubagem”. (Kelli Correa Brito)