Torcida Independente é condenada pela Justiça por conta de incidente no Nogueirão

Secretaria de Assuntos Jurídicos

29 de janeiro de 2018
Acessibilidade

A torcida Independente foi condenada pela Justiça ao pagamento de R$ 170 mil por conta do incidente ocorrido no estádio municipal Prefeito Francisco Ribeiro Nogueira, o Nogueirão, em 17 de janeiro de 2016, durante partida entre o São Paulo Futebol Clube e o Rondonópolis, pela Copa São Paulo de Juniores. A decisão foi tomada pelo juiz da 7ª Vara Civil de Mogi das Cruzes, Robson Barbosa Lima, em uma ação movida pela Prefeitura contra a torcida e o clube do Morumbi.

Em sua decisão, o juiz condenou a torcida Independente ao pagamento de cerca de R$ 70 mil referentes aos estragos causados no estádio durante o confronto entre torcedores, a Guarda Municipal e a Polícia Militar, além de R$ 100 mil por danos morais coletivos. O São Paulo Futebol Clube foi absolvido. A Prefeitura irá recorrer da decisão junto ao Tribunal de Justiça.

Na ação proposta, o município considera que o clube e a torcida têm responsabilidade nos fatos ocorridos, que causaram à cidade danos materiais, danos à imagem e danos sociais. Este último refere-se à quebra da tranquilidade pública, o que pode ser comprovado pelos registros do medo que se espalhou pela vizinhança do estádio, bem como cenas de crianças assustadas chorando dentro do estádio, idosos passando mal, entre outras.

Para o município, o clube também é responsável por financiar atividades da torcida, como admitido pelo presidente Carlos Augusto de Barros e Silva em entrevista concedida à imprensa dias após o ocorrido. Como a torcida possui histórico de violência, este financiamento faz com que o clube coloque-se em situação de ser responsabilizado.

O problema envolvendo a torcida organizada do São Paulo começou no intervalo da partida entre a equipe do Morumbi e o Rondonópolis, pela Copa São Paulo de Juniores de 2016, quando torcedores que estavam do lado de fora do estádio tentaram forçar a entrada e o confronto também envolveu os torcedores que estavam no estádio, que atacaram agentes da Guarda Municipal e da Polícia Militar. Durante o confronto, os torcedores danificaram catracas do estádio, vidros da bilheteria, corrimões das arquibancadas, lixeiras e parte do alambrado. Além disso, uma viatura da Secretaria Municipal de Segurança e outra da empresa de segurança que atuava na partida foram totalmente vandalizadas.

Na ocasião, 15 pessoas necessitaram de atendimento junto ao posto médico, mas não houve feridos graves. Após o confronto, a situação se tranquilizou e não foram registrados problemas após a partida, na saída dos torcedores.

Em três edições de Copa São Paulo realizadas em Mogi das Cruzes a partir de 2016, este foi o único problema com torcedores registrado no estádio Nogueirão. A estrutura oferecida pela cidade, aliás, vem sendo bastante elogiada pelas equipes participantes, sendo considerada uma das melhores da competição. Neste ano, o estádio recebeu oito jogos da Copa São Paulo, envolvendo equipes tradicionais como o Grêmio, o Goiás e o Bragantino, além do União Mogi das Cruzes. (Luiz Maritan)