Secretaria do Verde realiza medição e neutralização de emissões de carbono

Secretaria do Verde e Meio Ambiente

21 de março de 2019
Acessibilidade

A Secretaria do Verde e Meio Ambiente realizou este mês os cálculos da sua “Pegada de Carbono” (Carbon Footprint), que significa mensurar o quanto foi emitido de gases de efeito estufa em decorrência de suas atividades diárias, promovendo a neutralização correspondente. A diretora de Meio Ambiente, Patrícia Césare, explica que esta é uma das diretivas do Programa Município Verde Azul – do qual Mogi das Cruzes é uma das cidades certificadas este ano.

“Essa ação prevê que as instituições realizem seus inventários de emissões e adotem medidas para compensar o impacto delas no meio ambiente”, explica. A secretaria contabilizou todos os deslocamentos de seus veículos, bem como os dados da quilometragem registrada da frota entre outubro do ano passado a fevereiro deste ano.

O resultado apontou 38 toneladas de dióxido de carbono emitido, a partir de 1.042 quilômetros rodados com o caminhão movido a diesel, além de outras 29 toneladas de dióxido de carbono correspondente a 2.914 quilômetros rodados com os demais veículos, que utilizam etanol como combustível.

O secretário Daniel Teixeira de Lima explica que, a partir desses resultados, a secretaria realizou as compensações de emissões correspondentes. “ A realização deste inventário resultou num cálculo matemático que determina o volume de dióxido de carbono emitido. Nossa expectativa é ampliar esse cálculo para toda prefeitura nas futuras compensações”, comentou.

No dia 18 de março, foi realizado o plantio de 23 árvores no estacionamento do Parque Leon Feffer. O plantio foi contabilizado como compensação para que essas emissões sejam zeradas. As árvores plantadas sequestrarão o dióxido de carbono durante seu processo de crescimento. No local foram plantadas três grumixamas, três aldragos e 17 Ipês brancos -- todas espécies nativas da Mata Atlântica.

Para o diretor de licenciamento, André Miragaia, que também coordena as ações de educação ambiental da secretaria, é importante verificar o impacto causado pelos hábitos pessoais neste processo. Ele lembra também que o levantamento permite identificar quais são as áreas da secretaria que mais consomem recursos naturais.

“Tão importante quanto conhecermos nossas emissões, é descobrirmos quais são as oportunidades que existem para reduzirmos nossa 'pegada de carbono' no cotidiano. Isso significa evitar os desperdícios, preferir o consumo de alimentos produzidos aqui em Mogi, trocar o automóvel pelo transporte coletivo ou pela bicicleta, fazer carona solidária, separar os resíduos secos para a coleta seletiva e os orgânicos para a compostagem, entre outros”, completa.